“Essência” (Crônica)

benvindo-sol

Noite de quarta, ouço uma das mais minhas músicas preferidas…daqueles que tocam a alma…tento encontrar as palavras certas pra expressa toda  aquela raiva que a gente sente quando descobre que foi enganada/roubada… e também falar mais um pouco sobre ser e reivindicar os direitos, correr atrás…

Resolvi uma questão que estava me incomodando a dias, porque quando se trata de dinheiro eu realmente não faço questão de ser agradável ou do que os outros podem pensar.

Quando eu quero e me sinto lesada eu corro atrás: seja operadora de celular, banco, loja… mas confesso que ainda tem uma questão  antiga e muito séria que me pertuba.. e  é a razão que faz questionar sobre cursar direito… apesar de respirar estética…

Dia desses tive o prazer de assistir o filosofo Leandro Carnal no Café Filosófico e fiquei impressionada com a abordagem:

Era sobre a peça “Hamlet e trazia a visão para os dias atuais…a preocupado com o outro externada nessa necessidade de “escancarar a felicidade” via redes sociais! registrar  momento acaba sendo mais importante do que vivê-lo…fora aquela  preocupação absoluta calcada no que ” os vão pensar”…um discurso antigo  que parece nos aprisionar até a morte!….ou você nunca conheceu ninguém que á beira da morte fez questão de escolher a “roupa” apropriada para o enterro, com medo do que ” os outros iam pensar”…

No final da contas “nada faz diferença!, o que você faz ou deixa de fazer, o julgamento dos outros…porque no final partimos de um jeito ou de outro…voltamos ao pó, solitários como no instante do nascimento.

Conheci uma pessoa incrível,  super bem humoradas, alto astral, generosa…era um senhor já de idade, e foi um susto quando soube do seu falecimento…

Então depois de exatos 26 anos sem ir a um velório…criei coragem e fui prestar a última homenagem…E é até difícil definir em palavras aquele dia…

Ver aquele corpo, imovel…e aquela fisionomia estático, como cera…a ultima vez que vivencia aquela cena,ainda era adolescente…

E não conseguia encaixar aquele momento na minha vida adulta: não parecia “logico” estar ali…na minha memória, ainda estava presente aquele figura alegre, cheia de histórias, e alegria…, que fazia diferença na minha vida e na de outras pessoas…

Não dava pra entender,como tanta vitalidade poderia terminar ali naquele momento trágico de despedida…foi um dia triste e horrível para algumas pessoas e pra mim…mas normal para o resto do mundo.

A opinião dos outros, não ocupou espaço naquele caixão… não tornou a dor mais ou menos leve…foram apenas palavras e pensamentos que ele considerou… ou não…

Acredito que existe essa necessidade de acreditar

Mas  as vezes é dificil deixar pra lá né! e você ainda fica assutada diante de um tom de voz mais alta ou uma cara feia…como aquele ar de desaprovação pode martelar no intimo e perfurar a alma como uma lamina afiada…

Esses dias estava pesquisando sobre a origem do Black Power,e me deparei com a , incrível história de Angela Davis: uma ativista do movimento negro,dos anos 70 que chegou a pessoa mais procurada pelo FBI…

E as vezes não conseguimos nem  discordar  e/ou defender  a própria idéia, com medo de estragar o dia…

E trazendo essa questão para esse nosso universo estético: achei demais aquela mulher ousada com aquele Black Power  e olhar desafiador…uma beleza diferente iluminada pelas nuances de coragem…e ai vem a minha questão pessoal:

Porque como a maioria admirava aquele Black Power:” alá cachos”, as vezes as custas de muito leving e  fixador…mas com relação aquele crespíssimo armado( leia -se 4b, 4c), e  u realmente me sentia incomodada…

Beleza pra mim era sinônimo de  cabelos longos… no meu “quadrado”, ponto de vista: Heroínas tinham que ter aquele perfil ” mulher maravilha”de prefência, com olhos claros e cintura “de pilão”…

Também nada contra a esse perfil…mas a limitação do belo

Beleza pra mim sempre esteva associada ao cabelos longos, no meu “quadrado”, ponto de vista: Heroínas tinham aquele perfil ” mulher maravilha”de preferência, com olhos, cabelos longos…cintura “de pilão”…

Também nada contra a esse perfil…mas a limitação do belo, essa dificuldade constante de ver além…afinal beleza também é atitude! personalidade,educação…sem essa de se achar superior por ser mais alto, ou  mais baixo.

A essência que torna as pessoas inesquecíveis.

Pra inspirar:

 

Anúncios